quarta-feira, 5 de junho de 2013

Mais 2 imagens e 2 noticias

Imagem Postada
Imagem Postada

No Brasil Game Show 2012 a Sony estará presente com seus principais jogos: God Of War: Ascension, The Last Of Us, Beyond: Two Souls e Playstation All Stars Battle Royale:
Imagem Postada

God of War: Ascension’s multiplayer feels like a hi-def Power Stone 2, with eviscerations


Todd Papy, director of God of War: Ascension sounded a bit like Arnold Schwarzenegger at the end of T2: Judgement Day when he talked about wrapping up work on the upcoming prequel. “After this, I want the whole team to take a vacation.” He was clearly tired, but he smiled every time his eyes caught some player at his PAX booth getting torn in half from another player’s sword in Ascension‘s new multiplayer mode, “Favor of the Gods.”
Papy has worked on the God of War series since the first title, and he understands the importance of keeping the game fresh while maintaining the theme everyone loves. “I understand it’s a franchise. I’m not going to take Kratos into space and say, ‘Okay! You’re on Mars!’ But I understand this is a franchise. People expect certain things because of that, but it’s more about how can we take what they expect and freshen it up to make it feel new?” Papy asked. “I worry more about complacency than I do the new stuff. The reason for that is after awhile it might start feeling stale. To me, if you’re not pushing, you’re losing ground.”
Playing a healer in the God of War universe

The inspiration for multiplayer came from a broken, unbalanced modding of God of War III.
“At the end of God of War III, there’s a challenge mode, where you can fight Kratos on Kratos. One of our content designers got it working where you could actually play against each other. That was really the genesis of the multiplayer,” Papy said. “It was like, ‘Oh shit, we could do this!’” He laughed and then explained that while the team found it fun, modding single player content into multiplayer came with a large amount of problems. Much of Ascension‘s development time and tech has therefore been spent refining and updating the new multiplayer mode.
“Ugh. Ugh!” These are the sounds Papy made when asked about stress levels prior to revealing multiplayer. He explained that there was intense debate over how and when to reveal the mode, and even though ultimately Papy feels the team made the right choice, he admits reception has been mixed. “It was one of those things where I think if we went out and we said ‘We’re doing a single-player game and oh, by the way, we’re doing multiplayer too,’ and we didn’t show anything, I think people would’ve been like ‘Why the fuck are you ruining it, why are you doing this?’”
“For us, we wanted to squash any rumors. Why are we doing this?” Papy pointed to a nearby screen, where a player was smashed to pulp with an enormous hammer. “That’s why we’re doing it. We wanted to be able to point to it and say ‘This is what you should expect from us.’”
When it came time for me to pick a warrior, Papy said that, although I wasn’t able to customize at the demo kiosk, players will be able to choose things like weapon loadouts, armors, and the god to whom they’ll swear fealty. Each of these will grant bonuses or new abilities. The nice part is, although God of War is known for its violence, Papy told the Penny Arcade Report that a variety of play styles can work within Ascension‘s multiplayer mode, “Favor of the Gods.”
“If you want to be a team player, almost like a healer or something like that, you’ll be able to choose a certain allegiance to a god that supports that and you’ll be able to go through and do that,” Papy said.
I will open the hell out of those chests; you’re welcome, team

“Favor of the Gods” is structured as a team exercise, but there’s a reason it’s not called King of the Hill or Deathmatch. The mode plays out like a blending of those plus chest collection, across a three-dimensional battleground. “The whole idea behind [Favor of the Gods] is that you can play however you want to play. There are different ways to score points: you can kill people, you can use traps, you can open up chests, you can control altar points, and then you can also kill the big creature at the end,” Papy said.
As I ran about the battle in my scorpion-themed armor, I could perform basic combos with my sword and magic, or utilize randomly-spawning weapons. At the far edge of the map, an enormous cyclops roared and pulled against the chain and collar embedded into its neck. If I stood near this creature, it would slam its fists down, damaging me and knocking me back.
The hectic, do-what-you-can play style reminded me of Power Stone 2 for the Dreamcast. The hits connected with a solid shudder of the controller, and while I struggled to get free of some nasty dogpiles, it never felt unfair. I learned there were certain players I could reliably take on, and others to avoid. When I saw a group, I ran to try and score points by capturing altars or opening chests. The chests actually ended up being one of the biggest boosts to my team’s score.
In the end we still lost, as the fight came to a climactic end with the defeat of the cyclops. I attempted to stop the Trojan forces from delivering the killing blow, and ended up with my stomach split open, intestines spilling into my hands. The game is as graphic as you’d expect from God of War. The Trojans split the cyclops’ jaw in half, then proceeding to latch two hooks into its monstrous eye. They tugged and pulled, as the orb bulged from its socket. Finally, a Trojan leapt at the creature’s face, plunging a spear into the eye. Game, set, bloody match.

Tradução:

God of War: multiplayer de Ascensão se sente como um oi-def Power Stone 2, com eviscerações

Todd Papy, diretor de God of War: Ascensão soou um pouco como Arnold Schwarzenegger no final do T2: Dia do Julgamento, quando ele falou sobre o acondicionamento de trabalho no próximo prequel. "Depois disso, eu quero que toda a equipe para tirar férias." Ele estava claramente cansado, mas sorriu cada vez seus olhos encontraram algum jogador em seu estande PAX sendo rasgado ao meio da espada de outro jogador no modo multiplayer Ascensão novo, "favor dos deuses."

Papy trabalhou no Deus da série de guerra desde o primeiro título, e ele entende a importância de manter o jogo fresco, mantendo o tema todo mundo adora. "Eu entendo que é uma franquia. Eu não vou levar Kratos para o espaço e dizer, 'Ok! Você está em Marte! "Mas eu entendo que isso é uma franquia. As pessoas esperam certas coisas por causa disso, mas é mais sobre como podemos levar o que eles esperam e refrescar-lo para fazê-lo sentir de novo? "Papy perguntou. "Eu me preocupo mais sobre a complacência do que eu fazer as coisas de novo. A razão para isso é depois de algum tempo, pode começar a se sentir velho. Para mim, se você não está empurrando, você está perdendo terreno. "
Jogando um curandeiro no Deus da Guerra universo

A inspiração para o multiplayer veio de um partido, desequilibrado modding de God of War III.

"No final de God of War III, há um modo de desafio, onde você pode lutar contra Kratos em Kratos. Um dos nossos designers de conteúdo tenho que trabalhar, onde você pode realmente jogar um contra o outro. Isso foi realmente a gênese do multiplayer, "Papy disse. "Ele era como, 'Oh merda, nós poderíamos fazer isso!'" Ele riu e, em seguida, explicou que, enquanto a equipe descobriu que seja divertido, modding conteúdo único jogador em multijogador veio com uma grande quantidade de problemas. Muito do tempo da Ascensão de desenvolvimento e tecnologia, por isso, foram gastos aperfeiçoar e atualizar o novo modo multiplayer.

"Ugh. Ugh! "Estes são os sons Papy fez quando perguntado sobre os níveis de estresse antes de revelar vários jogadores. Ele explicou que houve intenso debate sobre como e quando a revelar o modo, e mesmo que, em última análise Papy sente a equipe fez a escolha certa, ele admite a recepção tem sido irregular. "Foi uma daquelas coisas em que eu acho que se nós saímos e nós dissemos: 'Nós estamos fazendo um jogo single-player e, oh, a propósito, estamos fazendo vários jogadores também', e não mostra nada, Acho que as pessoas teria sido como 'Por que diabos você está estragando tudo, por que está fazendo isso?' "

"Para nós, que queríamos para esmagar qualquer rumor. Por que estamos fazendo isso? "Papy apontou para uma tela próxima, onde um jogador foi esmagado a polpa com um martelo enorme. "É por isso que nós estamos fazendo isso. Queríamos ser capaz de apontar para ele e dizer: 'Isto é o que você deve esperar de nós.' "

Quando chegou a hora para mim escolher um guerreiro, Papy disse que, embora eu não era capaz de personalizar no quiosque demo, os jogadores serão capazes de escolher coisas como loadouts armas, armaduras, o Deus a quem vai jurar lealdade. Cada um destes irá conceder bônus ou novas habilidades. A parte boa é que, embora o deus da guerra é conhecida por sua violência, Papy disse o Relatório de Penny Arcade que uma variedade de estilos de jogo pode trabalhar dentro de modo a Ascensão do multiplayer, "favor dos deuses."

"Se você quer ser um jogador da equipe, quase como um curandeiro ou algo parecido, você vai ser capaz de escolher uma certa fidelidade a um deus que suporta isso e você vai ser capaz de passar e fazer isso", Papy disse.
Vou abrir o inferno fora dos baús, você é da equipe, bem-vindo

"Favor dos Deuses" é estruturado como um exercício de equipe, mas não há uma razão que não é chamado King of the Hill ou Deathmatch. O modo de se desenrola como uma mistura dos coleção peito mais, em um campo de batalha tridimensional. "A idéia por trás [favor dos deuses] é que você pode jogar, contudo, você quer jogar. Existem diferentes maneiras para marcar pontos: você pode matar as pessoas, você pode usar armadilhas, você pode abrir baús, você pode controlar pontos do altar, e então você também pode matar a criatura grande no final ", disse Papy.

Enquanto eu corria sobre a batalha em minha armadura escorpião-temático, eu poderia realizar combos básicos com a minha espada e magia, ou utilizar armas aleatoriamente desova. Na ponta mais distante do mapa, um enorme ciclope rugiu e puxou contra a corrente e coleira embutido em seu pescoço. Se eu estava perto dessa criatura, seria bater os punhos para baixo, prejudicando-me e batendo-me de volta.

O agitado, faça-o-que-você-pode estilo de jogo me lembrou de Power Stone 2 para o Dreamcast. Os hits conectado com um sólido arrepio do controlador, e, enquanto eu lutava para se livrar de alguns dogpiles desagradáveis, nunca é sentida injusto. Eu aprendi que havia alguns jogadores que eu poderia assumir de forma confiável, e outros para evitar. Quando eu vi um grupo, eu corri para tentar marcar pontos pela captura altares ou abrir baús. Os baús na verdade acabou sendo um dos maiores impulsos para marcar minha equipe.

No final, ainda perdido, como a luta chegou ao fim culminante com a derrota do cyclops. Tentei parar as forças de Tróia de entregar o golpe mortal, e acabou com o meu estômago divisão aberta, intestinos derramando em minhas mãos. O jogo é tão gráfico quanto você esperaria de Deus da Guerra. Os troianos dividir a mandíbula do ciclope 'ao meio, em seguida, proceder a trava dois ganchos em seu olho monstruoso. Eles puxada e arrastada, como o astro inchou do seu soquete. Finalmente, um Trojan saltou para o rosto da criatura, mergulhando uma lança no olho. Game, set, match sangrenta.

Fontes: Meu Facebook / Facebook Oficial do God of War / Facebook do BGS 2012 / Site The Penny Arcade - http://penny-arcade....stone-2-with-ev

Nenhum comentário:

Postar um comentário